Bullet journal para pessoas normais (ou: como eu faço o meu)


Principal / terça-feira, 3 de janeiro, 2017

O bullet journal (ou BuJo, pra encurtar) é um sistema de organização/agenda que anda na moda ultimamente. É simples, flexível, e tem me ajudado muito nos últimos meses. Eu nunca me adaptei completamente a calendários e listas de afazeres digitais, e sempre abandonei minhas agendas em poucos meses (aliás, em poucos dias). Mas com o bullet journal eu tenho conseguido manter meus compromissos e projetos sob relativo controle, e é muito simples de manter, então não é um grande esforço.

Se você der uma busca no google, a maior parte dos resultados são páginas quase artísticas, cheias de desenhos, um monte de listas e spreads confusos e desencorajadores pra quem pensa em começar. Já vi até gente vendendo “caderno bullet journal” com coisas pré-impressas. O bullet journal não precisa ser essa coisa emperequetada e cheia dos balangandãs, e definitivamente não é algo pré-formatado. Como eu disse acima, o que me mantém no sistema é justamente sua baixa manutenção.

Esse guia do Vida Organizada é uma boa introdução ao método em português. Tem todo o básico, conforme foi criado por Ryder Carroll. Experimentei bastante até encontrar um formato que funcionava para mim, e vou mostrar para vocês.

Como eu faço meu bullet journal

Você pode usar qualquer caderno, incluindo aquele tilibra das princesas que você só comprou por causa dos adesivos e que está tomando poeira aí na sua escrivaninha. Eu inclusive recomendo que você passe um mês ou coisa assim apenas experimentando, usando materiais que já tem, para ver se você se adapta ao método e se o método se adapta a você. O que eu uso:

  • Caderninho (peguei um espiral da minha pilha imensa de Cadernos Não Usados; eu tenho um problema com papelaria). Pode ser qualquer um, sério. É comum usar cadernos quadriculados porque facilita desenhar e dividir as páginas, mas não é necessário.
  • Calendário de papel (pro ano passado usei um de mesa promocional que já tinha; pra esse ano, imprimi daqui)
  • Caneta preta (uso canetas coloridas para títulos e datas, mas é completamente dispensável, não faço nenhum tipo de color-coding)

Eu não sigo o método à risca. Faço apenas um spread semanal (que não consta no método original) porque me ajuda a ter uma noção global do que eu tenho pendente, e um log diário. Também uso o caderno para listas (compras, ideias, coisas relacionadas a projetos). Na “literatura oficial” do BuJo o pessoal gosta de chamar listas de “coleções”, mas são só listas mesmo. Também não faço o índice; eu percebi que acabava não voltando a ele para consultar/atualizar nunca. Portanto, também não uso mais números de página. Quando faço alguma lista ou anotação que vou precisar depois, uso um marca-página adesivo, daqueles tipo post-it. Nunca tenho muitas dessas listas ou notas ativas, eu passo a limpo tudo o que for relacionado a algum projeto e retiro o marcador, então não fica confuso. Vou mostrar pra vocês como é o meu processo semanal e diário de planejamento.

Todo domingo à tarde ou à noite, eu sento com o caderno, o calendário, o celular e algumas canetas. Abro as próximas duas folhas do caderno e divido a primeira delas em seis partes: uma para cada dia da semana, com o fim de semana em uma divisão só.

Bullet journal - semanal

A segunda página fica para a lista de afazeres geral da semana. Eu coloco na primeira parte as coisas que tem data certa, como compromissos e prazos, e coisas que eu sei que posso/devo fazer naquele dia específico. Boa parte das minhas tarefas não têm deadline, apenas precisam ser feitas em algum momento da semana, então elas vão pra segunda página. Uso o calendário para marcar coisas para uma data futura, e consultar coisas agendadas há mais de uma semana. O sistema original do bullet journal usa pra isso o future log. Eu pessoalmente achei confuso, e como eu tendo a não consultar as coisas que estão muito pra trás no caderno, também não estava funcionando. Pra mim, é melhor o calendário.

Diariamente, se possível na noite anterior (mas normalmente no mesmo dia pela manhã) eu abro um log diário. Coloco a data no alto da página e listo as tarefas, e faço anotações. Eu gosto de listar as tarefas passo a passo, principalmente as que eu não gosto ou não quero fazer, que é para ter menos motivos para adiá-las. Vocês podem ver que a tarefa “areia” (limpar a caixa de areia do gato, no caso) está quebrada nos passos “esvaziar” e “lavar caixa”. Se precisar fazer uma lista, uso a página seguinte e a mantenho marcada enquanto precisar dela. Aqui, à direita, vocês podem ver que eu fiz uma pequena lista de compras.

Os bullets

O que faz do bullet journal um bullet journal são, é claro, os bullets, esses pequenos sinais que vão antes de cada item na lista. Vocês vão perceber que o bullet mais comum no meu caderno é um pontinho •: ele indica uma tarefa a ser cumprida. Quando a tarefa é cumprida, a gente transforma o ponto num x; quando é postergada, a gente marca com um >, e agenda ela novamente. O hífen – é usado para anotações. Eu também uso uma estrelinha simples ☆ pra coisas importantes/prioritárias. E coloco uma interrogação ? no fim das tarefas que não tenho certeza que precisam ser feitas, ou que não sei se vou conseguir fazer no dia. Se alguma coisa não precisa mais ser feita, eu apenas risco.

E é isso. É sério, é só isso.

Eu disse que era simples.

Seria um exagero dizer que o bullet journal salvou a minha vida, mas ele tem colaborado muito para manter a minha sanidade. Se você andou pensando em experimentar, mas se sente intimidado, veja que não custa tentar; ele não precisa ser complicado, e você pode começar agora mesmo, com qualquer caderno e caneta que tiver em casa. E se você realmente gosta dos diários decorados e cheios de desenhinhos, não tem nada que te impeça. Eu só recomendo começar devagar, e, depois que se adaptar, ir acrescentando desenhos, spreads mirabolantes, adesivos e washi tape. A mágica do método é justamente ser flexível e atender ao desejo e necessidade de cada um.

5 thoughts on “Bullet journal para pessoas normais (ou: como eu faço o meu)

  1. Você colocou de forma direta o que é o sistema. Ficou muito didático, também não me adaptei ao índice e esse ano comprei um caderno exatamente como você descreveu uma pág para semana e outra para a lista de afazeres. Como gosto de desenhar fiz outro caderno para complementar com o que não é importante.

  2. É mais ou menos o que eu faço, apesar de ser adepta ao GTD, também do Vida Organizada. Uso um caderno de entrada, com alguns símbolos próprios. Tenho uma divisão apenas para finanças, onde anoto o que entra e os gastos que tenho mensalmente.

    Uso qualquer caneta tbm, apesar de gostar mais das de ponta fina. E separo por dia com coisas pra fazer, mercadorias pra receber, textos pra escrever, emails pra mandar. Tenho alguns adesivos impressos e washi tape se quero separar mês ou ano e é isso.

    Acho lindo esses BuJo da internet, mas pelamor, a pessoa perde mais tempo decorando do que realmente se organizando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *